21 janeiro, 2013

Minhas apostas - OSCAR 2013

Filme:  "ARGO" - Consagração e constatação de Ben Affleck como realizador, mesmo sem ter recebido a indicação a Melhor Diretor. "Argo" é um filme empolgante, e apesar de não ser o melhor filme do ano, é com certeza um dos 10 melhores sem dúvida. 

DiretorSTEVEN SPIELBERG ("Lincoln") - esta é a sétima indicação dele como diretor ao prêmio, já tendo vencido por "O Resgate do Soldado Ryan" e "A Lista de Schindler".  Só vai levar porque Ben Affleck e Kathryn Bigelow não foram indicados na categoria. Os votantes ficaram meio que sem opção de voto. Na minha opinião a grande direção do ano foi a de J.A. Bayona, por "O Impossível", que sequer foi indicado. 

AtorDANIEL DAY-LEWIS ("Lincoln") - vencerá pela terceira vez. Ele é unanimidade em todas as bolsas de apostas e todas as listas de melhores do ano.  É um ator de técnica inegável mas acho suas atuações sempre muito estudadas em excesso, milimetricamente pensadas e ensaiadas. Meu favorito seria Joaquin Phoenix, fabuloso em "O Mestre". 

Atriz:  JENNIFER LAWRENCE ("O Lado Bom da Vida") - a jovem atriz já indicada por "Inverno da Alma" e grande estrela de "Jogos Vorazes" (no qual ela tem também uma atuação incrível) já provou que é uma das melhores intérpretes de sua geração e vencerá a estatueta merecidamente.  Minha favorita seria Emmannuelle Riva em "Amor". 


Ator Coadjuvante:  TOMMY LEE JONES ("Lincoln") - o ator feioso - e talentoso -  já venceu na categoria há 20 anos por "O Fugitivo",  em 1994. Ano passado foi muito elogiado por sua performance em "Um Divã Para Dois" (Hope Springs), ao lado de Meryl Streep. Não é a melhor atuação coadjuvante do ano. Samuel L. Jackson ("Django Livre") foi injustiçado e esquecido na categoria.  

Atriz Coadjuvante:  ANNE HATHAWAY ("Os Miseráveis") favorita na categoria, tem um grande momento cantando "I Dreamed a Dream", mas acho exagerado premiá-la apenas por esta cena, já que ela desaparece do filme na primeira meia hora. A premiação mais justa seria para Helen Hunt em "As Sessões". 

Roteiro Original: "A HORA MAIS ESCURA" - muito mais merecedor seria "Django Livre" ou até mesmo "Looper" (que sequer foi indicado), mas o filme de Kathryn Bigelow virou o queridinho de muita gente em Hollywood e sairá com a estatueta.

Roteiro Adaptado:  "LINCOLN" - a adaptação para as telas de Tony Kushner foi muito elogiada, embora p mim o melhor roteiro adaptado do ano tenha sido o de "Indomável Sonhadora" ("The Beasts of the Southern Wild"). 

Fotografia:  "AS AVENTURAS DE PI"  - o chileno Claudio Miranda vencerá a estatueta, depois da indicação merecida por "O Curioso Caso de Banjamin Button". É dele também as fotografias de "Clube da Luta" e "Tron: o Legado". "Pi" tem, inegavelmente,  o melhor uso do 3D até hoje. Deslumbrante.

Animação:  "DETONA RALPH"  -  em um ano de repleto de boas animações, a Disney leva a melhor depois de vencer o Annie Awards (o Oscar da Animação). "Frankenweenie" é superior, mas "Detona Ralph" teve mais público e deverá vencer.

Filme Estrangeiro:  "AMOR"  (Áustria) - Palma de Ouro no Festival de Cannes, o diretor Michael Haneke não concorreu ao Oscar por nenhum de seus extraordinários filmes anteriores: "A Fita Branca", "Caché" e "A Professora de Piano". O austríaco finalmente vencerá. Seu filme é uma unanimidade da crítica.



Edição:  "ARGO"- o editor William Goldenberg concorre este ano 2 vezes, também pela montagem de "A Hora Mais Escura". Deverá vencer pelo filme de Ben Affleck.  Goldenberg também já foi indicado 2 outras vezes, por "Seabiscuit" e "O Informante".

Direção de Arte:  "ANNA KARENINA"  - reconstituições de época sempre são agraciadas nesta categoria.

Figurino:  "ANNA KARENINA"  - Jacqueline Durran já havia sido indicada pelos outros 2 filmes anteriores de Joe Wrigth, "Desejo e Reparação" e "Orgulho e Preconceito".

Trilha Sonora:  "AS AVENTURAS DE PI" -  é a primeira indicação do canadense Mychael Danna, que já compôs trilhas para "Capote", "Pequena Miss Sunshine" e "Adorável Júlia".



Mixagem de Som:  "OS MISERÁVEIS" - a inovadora opção do diretor Tom Hooper de captar o som do set e as vozes dos atores  cantando no momento das filmagens, em detrimento da dublagem posterior será reconhecida.

Edição de Som: "A HORA MAIS ESCURA" - incensado pelos críticos, o "filme de macho" de Kathryn Bigelow sairá da festa com mais esta estatueta.

Efeitos Visuais:  "AS AVENTURAS DE PI"  -  a recriação ultra-realista do tigre Richard Parker por computação gráfica eclipsou outros indicados como "O Hobbit" e "Os Vingadores".

Canção:  "OO7 SKYFALL" - vencerá esta canção previsível de Adele, numa categoria onde poderia surpreender premiando "Os Miseráveis". "Django Livre" tem inúmeras canções originais que poderiam ter sido indicadas.


Maquiagem:  "O HOBBIT" - esqueceram da fabulosa maquiagem de "O Impossível", mas o filme de Peter Jackson é merecedor da láurea.

Curta-documentário:  "OPEN HEART"  - cirurgias cardíacas em crianças sensibilizarãos os votantes da Academia.

Curta de Animação:  "AVIÃO DE PAPEL" (Paperman) - o diretor John Kahrs fez parte da equipe de animadores de "Enrolados", "Monstros S.A.", "Ratatouille" e "Os Incríveis".  O curta foi exibido nos cinemas antes da animação "Detona Ralph". "Avião de Papel" é lindo.

Documentário:  "SEARCHING FOR SUGAR MAN"  - dirigido por Malik Bendjelloul, narra a história de 2 sul-africanos que partem em busca da verdade sobre seu ídolo musical, Rodriguez, um roqueiro e compositor famoso nos anos 70. 


Curta-metragem:  "CURFEW" em um momento de crise em sua vida, Richie (Shaw Christensen) recebe o telefonema de uma irmã distante, pedindo para que cuide de sua sobrinha de nove anos, Sophia (Fatima Ptacek), por algumas horas.















































07 janeiro, 2013

Minhas apostas - Globo de Ouro e SAG Awards

Quem ganhará o Globo de Ouro? Minhas apostas são:

MELHOR FILME (Drama): "ARGO"

MELHOR DIRETOR: Ben Affleck ("Argo")

MELHOR ATOR (Drama):  Daniel Day-Lewis ("Lincoln")

MELHOR ATRIZ (Drama):  Jessica Chastain ("A Hora Mais Escura")

MELHOR ATOR COADJUVANTE:  Tommy Lee Jones ("Lincoln")

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:  Anne Hathaway ("Les Misérables")

MELHOR FILME (Comédia ou Musical): "O LADO BOM DA VIDA"

MELHOR ATOR (Comédia ou Musical): Bradley Cooper ("O Lado Bom da Vida")

MELHOR ATRIZ (Comédia ou Musical): Jennifer Lawrence ("O Lado Bom da Vida")

MELHOR ROTEIRO:  "Lincoln" (Tony Kushner)

MELHOR TRILHA SONORA:  "As Aventuras de Pi" (Michael Danna)

MELHOR CANÇÃO:  "Suddenly" (Les Misérables)

MELHOR ANIMAÇÃO:  "Detona Ralph"

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:  "AMOR" (Austria), de Michael Haneke

SAG AWARDS (Apostas) :

ATOR: Daniel Day-Lewis ("Lincoln")

ATRIZ: Jennifer Lawrence ("O Lado Bom da Vida")

ATOR COADJUVANTE:  Tommy Lee Jones ("Lincoln")

ATRIZ COADJUVANTE:  Anne Hathaway ("Les Misérables")

 ELENCO:  "Les Misérables"

18 dezembro, 2012

Melhores de 2012 - CINEMA BRASILEIRO


Filme:  "À BEIRA DO CAMINHO"
        2º lugar:  "HELENO" 


Diretor:   CAO HAMBURGER ("Xingu")
        lugar:   Breno Silveira  ("À Beira do Caminho" e "Gonzaga - De Pai para Filho")      
       

Ator:    RODRIGO SANTORO  ("Heleno")
lugar:   Gustavo Machado ("Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios" e "Disparos")


Atriz:    CAMILA PITANGA ("Eu Receberia As Piores Notícias Dos Seus Lindos Lábios")
         2º lugar: Hermila Guedes  ("Era Uma Vez Eu, Verônica")

Ator Coadjuvante:  ZÉ CARLOS MACHADO  ("Eu Receberia As Piores Notícias Dos Seus Lindos Lábios")
         2º lugar:  Adélio Lima  ("Gonzaga - De Pai para Filho")

Atriz Coadjuvante:  CYRIA COENTRO ("Gonzaga - De Pai para Filho")
        lugar: Dedina Bernardelli  ("Disparos")
 
Roteiro Original:  "Disparos"  (Juliana Reis)
         lugar:  "Cara ou Coroa" (Ugo Giorgetti)

Roteiro Adaptado: "Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios" (Beto Brant, Marçal Aquino, Renato Ciasca) 

Fotografia:  "Heleno" e "Febre do Rato  (Walter Carvalho)

Trilha Sonora:  "Era Uma Vez Eu, Verônica"  (Tomaz Alves Souza e Karina Buhr)

Edição:  "Paraísos Artificiais" (Quito Ribeiro)


Direção de Arte:  "Era Uma Vez Eu, Verônica" (Marcos Pedroso)

Figurino:  "Heleno" (Valeria Stefani)


Efeitos Visuais:  "2 Coelhos" (Sergio Farjalla Jr, Purvez Amirali,  Mauro Baptistella, Carlos Faia)


Maquiagem:  "Gonzaga - De Pai para Filho"  (Martin Macias Trujillo)

PIOR FILME BRASILEIRO DO ANO:  "E A VIDA CONTINUA"


Revelações:  Alison Santos  ("Gonzaga - De Pai Para Filho")

Vinícius Nascimento  
("À Beira do Caminho")

João Pedro Zappa  ("Disparos")
 

08 agosto, 2012

Previsões para o Oscar 2013 incluem "Les Misérables" e "Lincoln"

Ainda faltam 6 meses para a entrega do OSCAR 2013 mas muitas especulações, apostas e previsões começaram a ser feitas sobre os possíveis filmes que serão indicados. Para a categoria Melhor Filme muitos apostam no esperadíssimo "LES MISÉRABLES", dirigido pelo mesmo diretor de "O Discurso do Rei", o britânico Tom Hooper.  Há quem diga que Hugh Jackman, Russell Crowe e Anne Hathaway concorrerão por suas performances. Por ser um filme de época, deve vir uma enxurrada de indicações em categorias "técnicas" como Direção de Arte, Figurino, Fotografia e Maquiagem.
Outros que podem entrar na lista são o visualmente magnífico "THE LIFE OF PI", de Ang Lee ("Brokeback Mountain") e "LINCOLN", nova cinebiografia de Steven Spielberg que traz Daniel Day-Lewis no papel-título do presidente americano Abraham Lincoln, que pode concorrer pela quinta vez (já tendo ganhado 2).
O luxuoso "ANNA KARENINA", de Joe Wright (de "Desejo e Reparação"), adaptação do clássico homônimo de Tolstoy, é outro prato cheio para
diversas estatuetas, incluindo Melhor Atriz para Keira Knightley.
Outro bem cotado é a comédia dramática "HYDE PARK ON HUDSON", de Roger Mitchell ("Notting Hill"), que focaliza um affair que o presidente americano Franklin Roosevelt teve com uma prima distante. Bill Murray está sendo elogiado pelo papel de Roosevelt e Laura Linney como a prima. Ambos podem concorrer.
"ARGO", de um cada vez melhor diretor Ben Affleck ("Atração Perigosa" é excelente), também está na lista de cotados.  "THE MASTER", de P. T. Anderson, sobre o criador da Cientologia e "ZERO DARK THIRTY", da oscarizada Kathryn Bigelow, sobre a vigorosa caça a Osama Bin Laden, também estão no páreo.  O aclamado "BEASTS OF THE SOUTHERN WILD", de Benh Zeitlin, vencedor de prêmios em Sundance e Cannes, fala sobre a sobrevivência de uma garotinha em uma comunidade caótica no sul dos EUA.  "SILVER LININGS PLAYBOOK", de David O. Russell ("O Vencedor"), traz Jennifer Lawrence e Bradley Cooper numa história de reconciliação familiar.

Entre os cotados até o momento para Melhor Ator, além de Day-Lewis, Bill Murray e Hugh Jackman estão o elogiado John Hawkes (de "Inverno da Alma") em "The Sessions", no qual ele interpreta um homem completamente imobilizado em cima de uma cama por causa de uma doença grave, que deseja perder a virgindade antes de morrer.  Joaquin Phoenix, retornado das cinzas,  também pode concorrer por "The Master".
Entre as atrizes especulam-se, além de Keira Knightley e Laura Linney, sobre a francesa Marion Cotillard no filme belga "De Rouille e D'Os" (Rust & Bone, título internacional), e também a veterana Maggie Smith, que aos 78 anos pode receber sua sétima indicação no papel de uma cantora de ópera aposentada em "Quartet", estreia na direção do ator Dustin Hoffman. A sumida Barbra Streisand também está cotada por "The Guilt Trip", comédia dirigida por Anne Fletcher (de "A Proposta"), em que atua ao lado de Seth Rogen.
Os cotados para Melhor Ator Coadjuvante são: Woody Harrelson em "Seven Psychopaths", o veterano Tom Courtenay (de "O Fiel Camareiro"), aos 75 anos, por "Quartet",  Russell Crowe, pelo papel do inspetor  Javert em "Les Misérables" e Leonardo DiCaprio no esperado "Django Unchained", de Quentin Tarantino.
Entre as atrizes coadjuvantes as mais comentadas são Annette Bening em "Imogene", Pauline Collins (de "Shirley Valentine") em "Quartet", Jennifer Lawrence em "Silver Linings Playbook", Anne Hathaway pelo papel de Fantine em "Les Misérables" e a ascendente Isla Fisher ("Os Delírios de Consumo de Becky Bloom") em "O Grande Gatsby", de Baz Luhrmann.



14 fevereiro, 2012

Minhas apostas - OSCAR 2012

Filme:  "O ARTISTA"  - os grandes filmes do ano foram: o penetrante "DRIVE", de Nicolas Winding Refn,  e o arrebatador "Hugo Cabret", de Scorsese, mas esta bela homenagem francesa ao cinema mudo também merece a honra.

DiretorMICHEL HAZANAVICIUS ("O Artista") - mas o melhor diretor foi Martin Scorsese, em "Hugo Cabret".

AtorJEAN DUJARDIN ("O Artista")  - não concordo em premiar um ator que não tenha uma carreira de grandes filmes. Receber o Oscar deveria ser uma honra pelo background, por uma vida de ótimas atuações,  não apenas a interpretação pela qual concorre. Que carreira tem Dujardin? Ele está bem no filme (embora seja careteiro), aprendeu a sapatear, mas o melhor ator do ano sem sombra de dúvida foi incomparável Ryan Gosling, soberbo em 2 filmes: "Drive" e "Tudo pelo Poder" (ele sim, tem uma carreira de grandes interpretações e mereceria muito mais a estatueta).



Atriz:  MERYL STREEP ("A Dama de Ferro") - 17 vezes indicada ao Oscar. A maior atriz viva do cinema mundial. Não há papel que ela não consiga interpretar. Não há sotaque que ela não consiga imitar. Sim, ela já ganhou 2 Oscars, mas ela merece seu terceiro. Viola Davis é uma atriz iluminada, mas a carreira dela é muito pequena perto da magnífica Meryl. Se ela perder, será injustiça parecida com a perda da Judy Garland para Grace Kelly em 1954.


Ator Coadjuvante:  CHRISTOPHER PLUMMER ("Toda Forma de Amor" - Beginners)  - venho falando deste filme e da performance dele há muitos meses. Chegou a hora deste ótimo ator de 82 vencer a estatueta. Ele também está notável em "Millenium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres" e tem no currículo uma carreira de boas interpretações em filmes como "O Informante", "A Última Estação" e "A Noviça Rebelde". Merece.

Atriz Coadjuvante:  OCTAVIA SPENCER ("Histórias Cruzadas") - que carreira ela tem? Nenhuma. Como Dujardin, faz mil caretas, caras e bocas. Acharam que é uma boa atuação. Vai entender. Jessica Chastain mereceria muito mais, pelo mesmo filme (e por outras 2 atuações esse ano em "Árvore da Vida" e "O Abrigo"). Na verdade a melhor atriz coadjuvante do ano foi a inglesa Carey Mulligan em "Drive" e "Shame", mas sequer foi indicada. Incongruências do Oscar.

Roteiro Original: "O ARTISTA" -  "Meia Noite em Paris" talvez fosse mais merecedor, mas o prêmio vai para o filme francês, que realmente conseguiu contar em imagens uma boa história à moda antiga, sem efeitos, sem tecnologia, sem a chatice do 3D, sem falas. E ainda assim um filme instigante e encantador.

Roteiro Adaptado:  "OS DESCENDENTES"  - Terno, sutil e comovente, repleto de cenas primorosas, diálogos espertos e perspicazes. Merece muito. Mas eu ficaria enormemente feliz se premiassem o fabuloso roteiro de "A Invenção de Hugo Cabret".

Fotografia:  "A ÁRVORE DA VIDA"  -  câmera e luz inacreditavelmente bonitos, etéreos, orgânicos com a narrativa do belo filme. O mexicano Emmanuel Lubezki já tem 5 indicações ao Oscar no currículo, incluindo trabalhos magistrais como em "O Novo Mundo" (The New World) e "Filhos da Esperança" (Children of Men). Chegou a hora dele ganhar.

Animação:  "RANGO"  -  "Rio" não concorrer é uma grande falha dos votantes, mas "Rango" merece por ser uma animação magnífica.


Filme Estrangeiro:  "A SEPARAÇÃO"  (Irã) - Será o primeiro Oscar do país. Incrivelmente merecido. Um filmaço sobre .

Edição:  "O ARTISTA"- editado pelo próprio diretor, junto com a francesa Anne-Sophie Bion, de "Micmacs - Um Plano Complicado", de Jean-Pierre Jeunet.

Direção de Arte:  "A INVENÇÃO DE HUGO CABRET"  - a dulpa italiana Dante Ferretti e Francesca LoSchiavo já concorreu 9 vezes e ganhou 2 ("O Aviador" e "Sweeney Todd") e desta vez, o trabalho da dupla é soberbo em "Hugo Cabret".

Figurino:  "O ARTISTA"  - o costume designer americano Mark Bridges tem no currículo a série "A Sete Palmos", além de filmes como "Magnólia", "Sangue Negro" e "Boogie Nights".

Trilha Sonora:  "O ARTISTA" - a música do francês Ludovic Bource é uma das almas do filme.

Mixagem de Som:  "CAVALO DE GUERRA" - tecnicamente esplêndido, o edulcorado filme de Spielberg deve receber apenas essa estatueta.


Edicão de Som:  "A INVENÇÃO DE HUGO CABRET" 

Efeitos Visuais:  "O PLANETA DOS MACACOS"  - o realismo da captura de performance dos símios e a interpretação magnífica de Andy Serkis darão esse prêmio ao ótimo e merecedor filme.


Canção:  "RIO" - num ano em que a Academia eliminou e desconsiderou todas as boas canções da lista prévia, acabou "sobrando" para a incrível animação de Carlos Saldanha. Merece? O filme sim, mas a canção é carnavalesca demais.

Maquiagem:  "A DAMA DE FERRO"


Curta-documentário:  "THE TSUNAMI AND THE CHERRY BLOSSOM"  - de Lucy Walker, uma das diretoras de "Lixo Extraordinário",  que perdeu ano passado. Talvez a Academia queira compensá-la este ano.


 Curta de Animação:  "LA LUNA" - produção da Pixar, será exibido junto com o próximo filme do estúdio, "Valente" (Brave), que será lançado em Junho. A direção de "La Luna" é de Enrico Casarosa, que estréia como diretor depois de contribuir com os storyboards de "Up - Altas Aventuras" e "Ratatouille".

Curta-metragem:  "RAJU" - co-produção da Alemanha com a Índia, fala sobre um casal germânico que adota um garoto órfão indiano chamado Raju, em Calcutá. O menino desaparece, para desespero dos pais adotivos.

Documentário:  "PINA"  - o famigerado diretor alemão Wim Wenders nunca ganhou um Oscar, apenas foi indicado em 1999 por "Buena Vista Social Club". Sua carreira inclui filmes gloriosos como "Paris, Texas" e "Asas do Desejo". "Pina" é um documentário em 3D sobre a vida da dançarina e coreógrafa alemã Pina Bausch, falecida há 2 anos.







02 fevereiro, 2012

Filmes da temporada - parte 1

"J. EDGAR" (***) - Apesar da maquiagem do envelhecimento dos personagens ser incômoda nos primeiros minutos, o filme do mestre Clint Eastwood tem muitas virtudes. Um roteiro sólido, com um belo arco dramático que percorre a psicologia de um homem às voltas com sua homossexualidade auto-repressora. Di Caprio tem desempenho marcante. O extraordinário ARMIE HAMMER, 25 anos, soube construir com segurança,  luminosidade e muitas nuances o Clyde Tolson (e em diversas idades), companheiro de Hoover. Um relacionamento de uma vida toda, casto e longevo, entre dois homens, bonito de se ver,  comovente em inúmeras cenas.
"MILLENIUM - OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES" (***) - uma Estocolmo tétrica, acinzentada, uma fotografia escura em excesso (e por isso mesmo, competente), um tour ao universo cruel e gelado dos personagens do livro de Stig Larsson. Por vezes me fez lembrar da ferocidade de "Seven - Os 7 Crimes Capitais", do mesmo David Fincher. Outras vezes me remeteu a "O Silêncio dos Inocentes". Um filme difícil, mas quem conseguir penetrar neste universo mórbido vai ter gratas surpresas no terço final. A destemida ROONEY MARA, 26 anos (parecida com Jennifer Connelly), é uma revelação, com ótimos e intrépidos momentos dramáticos. STELLAN SKARSGARD rouba a cena quando aparece. CHRISTOPHER PLUMMER está excelente como o patriarca. A trilha sonora de Trent Reznor & Atticus Ross (vencedores do Oscar pela música de "A Rede Social") tem acordes atualíssimos e orgânicos com a narrativa.  Uma viagem de difícil digestão, para poucos estômagos, mas contada com a qualidade da mise-en-scène do diretor.
 "PRECISAMOS FALAR SOBRE KEVIN" (****) - Notável estudo da relação insalubre entre mãe e filho. Uma mãe não necessariamente devota e um filho disformemente atroz e cruel. Pouquíssimos diálogos, um roteiro brilhante e aflitivo que conta em imagens o que poderia ser verborrágico e chato. Uma direção lancinante de Lynne Ramsay. Difícil desgrudar os olhos da tela. Fazia tempo que não sentia medo e frio na espinha. EZRA MILLER, de 18 anos, está diabólico: uma interpretação contundente. Arrisco dizer que ele será um dos grandes astros de Hollywood pelo talento. 
 "OS DESCENDENTES" (***) - o diretor Alexander Payne é um exímio diretor de atores e tem no currículo filmes afetuosos e apaixonantes como "As Confissões de Schmidt" e "Sideways". Aqui ele volta o olhar para relações familiares. Um pai antes desatento tenta reaproximar-se das filhas, enquanto descobre que a esposa, que está prestes a morrer, o traiu. Pode parecer piegas mas Payne tem uma mão pouco açucarada. A glicose dá lugar a momentos espirituosos e sensíveis. George Clooney está enternecedor como um pai e marido quebradiço e fragilizado. O oposto dos homens possantes que comumente interpreta no cinema. A fotografia  inteligentemente evita vender o Havaí com paisagens esplendorosas, mas dá vontade de planejar as próximas férias para a ilha do Pacífico. As vistas aqui são internas. E calmas.  Arrebatadora a performance da estreante SHAILENE WOODLEY, de 20 anos. A atriz vive a filha mais velha com uma convicção e uma firmeza que dão gosto de ver. Será uma grande atriz em pouco tempo. Um pequeno e brando drama, que merece ser visto por quem sabe o que significa cinema de qualidade. 
"O ESPIÃO QUE SABIA DEMAIS" (***) - Compassado e vagaroso, mas salpicado com alguns momentos vibrantes, essa adaptação do livro de John Le Carré ("O Jardineiro Fiel") é repleta de segredos e reviravoltas. Cansativo em determinados percursos,  é um filme que requer disposição. A reconstituição de época é primorosa. Gary Oldman tem uma longa carreira de trabalhos excelentes e merece esta primeira indicação ao Oscar. Ele constrói um investigador tácito, observador e silencioso, vindo à tona somente quando necessário. O restante do elenco é de uma altivez acima da média: John Hurt e MARK STRONG sobressaem em personagens complexos, Toby Jones é o baixinho enfezado de sempre e Colin Firth está surpresamente apagado. Quem me chamou muita atenção foi TOM HARDY, rijo e lúbrico, com uma peruca que o faz ficar quase irreconhecível. Um filme moroso, mas com intensas interpretações que valem a pena.
 




15 dezembro, 2011

Ryan Gosling e George Clooney são duplamente indicados ao Globo de Ouro.

Divulgadas as listas de indicações ao SAG (Screen Actor Guild Awards) e ao Globo de Ouro, críticos de vários jornais e cidades americanas fazendo suas costumeiras listas de melhores do ano, a corrida para o Oscar intensifica-se à medida que nomes aparecem e outros desaparecem.
"Tão Alto e Tão Perto" (Extremely Loud and Incredibly Close), de Stephen Daldry, "Drive", de Nicholas Winding Refn e "J. Edgar", de Clint Eastwood NÃO concorrem ao Globo de Ouro de Melhor Filme (a lista tem 6 nomes), mas deverão constar no Oscar, que terá prováveis 10 nomes.
 No Globo de Ouro, Steven Spielberg NÃO concorre a Melhor Diretor, mas "Cavalo de Guerra" (Warhorse) está na lista de Melhor Filme e "As Aventuras de Tintim" na lista de animações. Como pode um diretor ter 2 filmes indicados como melhores do ano e não concorrer como realizador? Vai entender. Outras ausências na lista foram:  Melissa McCarthy como Atriz Coadjuvante em "Missão Madrinha de Casamento" (Bridesmaids) e Armie Hammer como Ator Coadjuvante em "J. Edgar". Ambos concorrem ao SAG mas foram esnobados pelo Globo de Ouro. Em contrapartida, a novata Shailene Woodley, de 20 anos, ("Os Descendentes"), Michael Fassbender ("Shame") e Albert Brooks ("Drive"), que foram esquecidos pelo SAG, foram lembrados pelo Globo. Ryan Gosling, um dos atores mais notáveis desta geração, inacreditavelmente esquecido pelo SAG, concorre 2 vezes: Melhor Ator (Drama) em "Tudo Pelo Poder" (The Ides of March) e Ator (Comédia) em
 "Amor à Toda Prova" (Crazy, Stupid Love). Gosling também teve uma atuação fantástica este ano em "Drive".
George Clooney também concorre 2 vezes: Melhor Ator (Drama) em "Os Descendentes" e Diretor em "Tudo Pelo Poder" (The Ides Of March).
Talvez as maiores ausências nestas 2 listas sejam as de Gary Oldman  por "O Espião Que Sabia Demais" (Tinker Taylor Soldier Spy), de Tomas Alfredson, e Carey Mulligan, que teve ótimas e elogiadas atuações em "Shame" e
"Drive".
"Os Descendentes" (The Descendants), de Alexander Payne, parece seguir como o favorito para ganhar Melhor Filme (Drama) no Globo de Ouro, assim como o francês "O Artista" (L'Artiste), falado em nenhuma língua já que é mudo, deve ganhar como Comédia. Ambos serão os prováveis favoritos ao Oscar de Melhor Filme. 
A briga de Melhor Ator no Oscar também ficará a cargo dos dois protagonistas desses 2 filmes: Clooney e Jean Dujardin vêm ganhando quase todos os prêmios da crítica. No Globo eles não concorrem um com o outro, já que os filmes se dividem em "Drama" e "Comédia/Musical". Ambos devem ganhar os Globos nas respectivas categorias e irem fortes ao Oscar. Será que a Academia dará o prêmio a um francês que não fala nada em um filme mudo? Depois de Marion Cotillard, tudo é possível, e o longa parece brilhante.
A categoria de Melhor Atriz tem nomes fortes.  Meryl Streep vem ganhando vários prêmios de críticos pela personificação de Margaret Thatcher em "Dama de Ferro" (The Iron Lady), mas tem como concorrentes fortes:  Glenn Close em "Albert Nobbs"
e Tilda Swinton em "Precisamos Falar Sobre Kevin" (We Need to Talk About Kevin). Minha aposta é para Glenn Close, uma atriz estupenda, que já ganhou o Globo por telefilmes mas nunca por um longa. Há mais de 20 anos ela não concorre ao Oscar (prêmio que também nunca ganhou).  Sua última indicação foi por "Ligações Perigosas" (Dangerous Liaisons), em 1989. Em "Albert Nobbs", disfarça-se de homem, não por homossexualidade ou transexualidade, mas para sobreviver na sociedade machista da Irlanda do século 19.  Barbra Streisand viveu personagem parecido em "Yentl" (1983).  Close também é autora da letra da canção "Lay Your Head Down", cantada por Sinead O'Connor em "Albert Nobbs".
A favorita na categoria "Comédia" no Globo é Michelle Williams em "Minha Semana com Marilyn" (My Week With Marilyn), que enfrenta Kate Winslet e Jodie Foster, ambas de "Carnificina" (Carnage) e Kristen Wiig em "Missão Madrinha de Casamento".  
Desta vez não há musicais na categoria "Comédia/Musical". Os 5 indicados são comédias ou dramédias. O filme de Martin Scorsese, "A Invenção de Hugo Cabret" (Hugo), vencedor do National Board of Review, concorre a Melhor Filme (Drama), apesar de não ser exatamente um filme dramático e sim uma fantasia infanto-juvenil, com toques de ficção científica que homenageia o próprio cinema.
Uma boa surpresa na lista do Globo foi a indicação de Viggo Mortensen em "Um Método Perigoso" (A Dangerous Method), de David Cronenberg. Mortensen interpreta Sigmund Freud. Este ano, atores que interpretaram ícones como Margaret Thatcher, Marilyn Monroe, J. Edgar Hoover e Laurence Olivier foram todos indicados, confirmando a tradição de que os votantes gostam de interpretações de pessoas reais.
Entre os coadjuvantes masculinos o favorito absoluto é o veterano Christopher Plummer, que vive um gay tardio em
"Toda Forma de Amor" (Beginners).
Jonah Hill (que agora está magro), que não constava em nenhuma lista de previsão, foi uma das surpresas do SAG e Globo como Ator Coadjuvante em "O Homem Que Mudou o Jogo" (Moneyball), de Bennett Miller. Sua inclusão tirou nomes que estavam previstos como os de Ben Kigsley em "Hugo" e Max Von Sydow em "Tão Alto e Tão Perto".  Hill vem de filmes como "Superbad", "O Pior Trabalho do Mundo" (Get Him to the Geek) e "Ligeiramente Grávidos" (Knocked Up).
 Na Categoria Atriz Coadjuvante a favorita é a ascendente Jessica Chastain, em "Vidas Cruzadas" (The Help). A atriz também teve ótimas atuações como a mãe de "Árvore da Vida" (favorito na categoria Fotografia), "Coriolanus", "No Limite da Mentira" (The Debt) e "O Abrigo" (Take Shelter). É uma das grandes atrizes que despontam ao estrelato pela beleza e talento reconhecidos. Ela deve ser indicada ao Oscar e também vencer na categoria.
Muito justa a inclusão do extraordinário Joseph Gordon Levitt como Melhor Ator (Comédia) em "50/50". É um ator de talento indiscutível, com atuações excelentes nos últimos anos em filmes como "A Origem" (Inception), "Mistérios da Carne" (Mysterious Skin) e "500 Dias com Ela" (500 Days of Summer).
 Na categoria Filme Estrangeiro outra surpresa, "In The Land of Blood and Honey", dirigido por Angelina Jolie (e acusado de plágio), produção americana mas falada em bósnio.
Entre os concorrentes "O Garoto da Bicicleta" (Bélgica) e "A Pele Que Habito" (Espanha), mas o favorito é o iraniano "A Separação", que tende a seguir para o Oscar como favorito.
Entre as canções originais concorrem "The Living Proof" (Mary J. Blige), de "Histórias Cruzadas", "The Keeper" (Chris Cornell), de "Rendeção" (Machine Gun Preacher) - que estréia este fim de semana no Brasil e a incrível "Masterpiece" (Madonna), do filme também dirigido por ela "W.E.", que também concorre a Trilha Sonora, do polonês Abel Korzeniowski (de "Direito de Amar" (A Single Man).
 Trent Reznor & Atticus Ross, que ganharam ano passado o Globo e o Oscar por "A Rede Social", concorrem este ano pelo novo filme de David Fincher, ""Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres" (Girl With the Dragoon Tattoo). Elton John também concorre c a canção que ele fez com Lady Gaga em "Gnomeu e Julieta".
Entre as animações o favorito é o fabuloso "Rango", de Gore Verbinski, que concorre com "Carros 2", "As Aventuras de Tintim", "Operação Presente" (Arthur Christmas) e "Gato de Botas" (Puss in Boots). "Rio" ficou injustamente fora da lista, assim como "Kung Fu Panda 2".
Em Janeiro conheceremos quem são os indicados ao Oscar, mas já há 3 pesos-pesados, quase favoritos na briga de Melhor Filme: "A Invenção de Hugo Cabret", "O Artista" e "Os Descendentes". "Hugo" é um formidável elogio à sétima arte em forma de aventura dirigido pelo grande Scorsese. "O Artista" é outra homenagem ao próprio cinema, ousadamente mudo e último é um drama familiar como não poderia faltar em premiações. Quem ganhará? Minha lista de apostas para vencedores será postada em breve.